O desembargador Galdino Toledo, da 9ª Câmara de Direito Privado de São Paulo, decidiu no começo da noite de ontem (26), confirmar todas as decisões de primeira instância a respeito do testamento de Gugu Liberato.

Toledo negou diversos pedidos de Rose di Matteo, mãe dos herdeiros, como a tentativa de obter bloqueio dos bens do inventário. Decidiu também manter Aparecida Liberato, irmã de Gugu (e nomeada por ele) como testamenteira e curadora das filhas menores, Marina e Sofia.

Gugu Liberato teve morte confirmada no dia 22 de novembro de 2019, após sofrer um acidente em sua casa, em Orlando, Flórida, nos Estados Unidos. Gugu bateu a cabeça e chegou a ser socorrido para um hospital, porém teve morte cerebral.

A fortuna do apresentador foi divida em duas partes iguais. Da primeira metade, o dinheiro ficou para seus filhos João, Sofia e Marina; da segunda, Gugu deixou 75% para os três filhos e os outros 25% para os sobrinhos.

O Globo

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Covid-19: Brasil tem mais 15 mortes, chega a 92 e confirma 3.417 casos

O Ministério da Saúde divulgou o mais recente balanço dos casos da Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais números são: 92 mortes 3.417 casos confirmados 2,7% é a…

Sem licitação, campanha publicitária ‘Brasil não pode parar’ vai custar R$ 4,8 milhões

A campanha do governo Jair Bolsonaro em defesa do isolamento vertical, que traz o slogan “O Brasil não pode parar” custará R$ 4,8 milhões aos cofres públicos. Segundo o blog do jornalista Guilherme…