O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) publicou portaria no Diário Oficial da União de hoje definindo as regras de bloqueio do pagamento dos benefícios de prestação continuada (BPC) com suspeita de irregularidade. Agora, o aviso de bloqueio poderá ser feito pela rede bancária em que o beneficiário recebe o dinheiro mensalmente, agilizando o processo.

Pelas novas regras, a partir desse aviso o pagamento do benefício já fica temporariamente suspenso quando o beneficiário não responder ao aviso. Ele terá 30 dias para desbloquear o pagamento. A partir daí, terá o prazo de 10 dias para agendar a entrega da defesa.

O benefício será suspenso após encerrado o prazo de bloqueio, e o valor deixará de ser enviado à rede bancária. Se não apresentar recurso ou caso o recurso seja negado, o benefício será cancelamento definitivamente e não será mais reativado.

Antes, o INSS precisava enviar uma carta ao beneficiário avisando sobre a irregularidade e só podia efetuar o bloqueio após publicar edital no Diário Oficial da União. Segundo o INSS, esse método era pouco eficiente e lento.

 

Veja.Abril

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep

O abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) do calendário 2019/2020 começa a ser pago hoje (14) para os beneficiários…

Portaria eleva limite de compras para quem cruza fronteira por terra

O limite de compras isentas de impostos para quem cruza a fronteira do Brasil por via terrestre ou por rio subirá de US$ 300 para US$ 500 por pessoa, a…