Por pbagora.com.br

O desemprego no Brasil cresceu 33,1% desde maio. Nessa caso, 13,5 milhões de brasileiros foram atingidos com a falta de trabalho. Os números foram obtidos pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid-19 (Pnad Covid19), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A edição mensal da Pnad Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (23/10), aponta que o Brasil fechou o mês de setembro com uma taxa de desemprego de 14%. É o maior patamar mensal desde o início da pesquisa, que mede o impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado de trabalho brasileiros e havia constatado uma taxa de desocupação de 10,5% em maio, no início das medições.

Com isso, o contingente de desempregados chegou a 13,5 milhões em setembro. O número é recorde na séria histórica da Pnad Covid-19 e revela um aumento de 33,1% do número de desempregados desde maio, quando havia 10,1 milhões de brasileiros sem trabalho, além de uma alta de 4,3% do desemprego só no mês de setembro. É que, em agosto, havia 12,9 milhões de desempregados no país e a taxa de desocupação era de 13,6%.

Especialistas explicam que mais pessoas passaram a procurar emprego e a pressionar a taxa de desemprego com a flexibilização do distanciamento social.

PB Agora com Correio Braziliense

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Fernando Vannucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo

Jornalista foi âncora de telejornais da Rede Globo, como o Globo Esporte. No ano passado, sofreu um infarto. O apresentador e jornalista Fernando Vannucci morreu aos 69 anos, em Barueri,…

Cartão de confirmação do Revalida 2020 está disponível para consulta

As provas da primeira etapa serão aplicadas no dia 6 de dezembro Participantes do Revalida 2020 já podem realizar a consulta do Cartão de Confirmação da prova. A partir de…