O ex-bolsonarista resolveu dar alguns “conselhos” para a esquerda se quiser chegar à presidência em 2022; apesar de tucano, Frota revelou ainda em entrevista que não garante apoio a João Doria, seu padrinho no PSDB, para o próximo pleito

Cada vez mais distante do bolsonarismo, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) tem tentado uma aproximação tímida com a esquerda. Além de compartilhar conteúdo de sites progressistas, posar para fotos com deputados do PSOL e tecer elogios a Ciro Gomes (PDT), o ex-ator agora ataca de consultor político e dá conselhos para o campo político que ajudou a demonizar durante a campanha presidencial.

Nesta terça-feira (3), pelo Twitter, Frota sugeriu que o ex-presidente Lula apoie Ciro nas eleições de 2022. Esta, segundo ele, seria a única maneira da esquerda voltar à presidência. “Se a esquerda não se unir em torno de Ciro Gomes e Lula não entender que precisará apoiar Ciro a esquerda vai perder de novo .Ciro está se preparando para bater Bolsonaro se ele chegar até o fim”, escreveu.

O parlamentar ainda disse acreditar que o ministro Sérgio Moro não será vice de Bolsonaro na próxima eleição, como muitos vêm aventando, mas que o ex-juiz será candidato.

Sem apoio garantido a Doria 

Apesar de tucano, Alexandre Frota revelou em entrevista ao site da revista Época que seu apoio a uma candidatura de João Doria (PSDB) à presidência não está garantido. Doria foi o responsável por filiar frota ao PSDB e é constantemente elogiado pelo deputado.

O parlamentar, enquanto flerta com a oposição, no entanto, prefere aguardar para concretizar apoio à candidatura quase certa do governador de São Paulo ao posto mais alto do Planalto. “Ainda não pensei nisso. João nunca me falou que será candidato a presidente, está tudo indefinido. Não falo com ele há muito tempo, não sei o que pretende, ele anda muito ocupado e sumido. Mas ele precisa falar com no povo primeiro. Gosto muito dele, mas sinceramente não sei de nada. Vou ver o que o partido vai decidir”, pontuou Frota.

Revista Fórum

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Morre Ibsen Pinheiro, ex-presidente da Câmara dos Deputados

Morreu nesta sexta-feira (24), aos 84 anos, o ex-deputado Ibsen Pinheiro. Ele foi presidente da Câmara durante o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992. Ibsen estava…

Defesa Civil confirma 14 mortes na Grande BH por causa da chuva

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais informou, neste sábado (25), que 14 pessoas morreram em decorrência das chuvas que atingem o estado nos últimos dias. A informação…