Por pbagora.com.br

O exame de DNA realizado no IML (Instituto Médico Legal) de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, concluiu que o corpo carbonizado encontrado em Cachoeira Paulista, a 212 km da capital paulista, não é de Eliza Samudio.

O laudo feito pelo Instituto de Criminalística e divulgado pela polícia identificou o cadáver como sendo de um homem, segundo informações da rádio CBN.

A conclusão do laudo confirma o que o delegado chefe do Departamento de Investigações de Belo Horizonte, Edson Moreira, disse na última sexta-feira (23). Na ocasião, ele descartou a possibilidade de o corpo ser da ex-amante do goleiro Bruno Fernandes Souza, que está desaparecida.

A baixa estatura e a proximidade das datas entre o desaparecimento de Eliza e o aparecimento do corpo carbonizado fizeram a polícia de Cachoeira Paulista suspeitar de que o cadáver pudesse ser da ex-amante do jogador do Flamengo.

A identidade do corpo ainda não foi divulgada pela polícia.

Eliza Samudio, que brigava na Justiça para que Bruno reconhecesse a paternidade do filho, desapareceu no início de junho. O caso está sendo investigado desde o dia 25 do mesmo mês, quando a criança foi encontrada na casa de uma amiga de Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, ex-mulher de Bruno.

A polícia acredita que sete adultos e um menor estão envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Todavia, o corpo da jovem não foi encontrado.
 

R7

Notícias relacionadas

Mortes de grávidas e de mães de recém-nascidos por Covid dobram em 2021, aponta estudo

O número de mortes de gestantes e de mães de recém-nascidos, (puérperas) por Covid-19 mais do que dobrou em 2021 em relação à média semanal de 2020, apontam dados do…