O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 0,5 ponto de outubro para novembro deste ano. Com o resultado, que mostra a terceira queda consecutiva, o indicador passou para 88,9 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o menor nível desde julho deste ano.

Houve melhora na percepção dos consumidores em relação à situação atual, com uma alta de 1,1 ponto no Índice da Situação Atual, para 78,5 pontos. Já a confiança em relação aos próximos meses piorou, com queda de 1,4 ponto no Índice de Expectativas, para 96,9 pontos.

O componente que mede a intenção de compra de bens duráveis nos próximos meses foi o que mais contribuiu para a queda da confiança do consumidor.

Segundo a pesquisadora da FGV Viviane Seda Bittencourt, o resultado sugere que a liberação do FGTS e a gradual redução da taxa de desemprego ainda não foram suficientes para recuperar o ímpeto de compras dos consumidores, que continuam cautelosos. “Um final de ano difícil ainda para os consumidores, principalmente para os de menor poder aquisitivo”.

Agência Brasil

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mega-Sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 31 mi

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.215, realizado na noite desta quarta (11) em São Paulo (SP). O prêmio acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 01 – 19 – 21 –…

Fábio Porchat responde críticas sobre especial de Natal

O ator e apresentador Fábio Porchat fez uma publicação no Twitter nesta quarta-feira, 11, em que falou sobre as críticas que a produção Especial de Natal Porta dos Fundos 2019: A Primeira Tentação de Cristo tem…