Por pbagora.com.br

A casa da prefeita da cidade de Jutaí, Marlene Gonçalves, foi incendiada e destruída durante um protesto na noite de quarta-feira (29). De acordo com a Polícia Civil, manifestantes cobravam o pagamento de salários atrasados há três meses de funcionários municipais. O caso está sendo investigado.

Segundo a 56ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), o fato ocorreu por volta das 20h e teve a participação de aproximadamente 300 pessoas.

“Os protestantes causaram danos, ainda, em duas janelas do estabelecimento comercial do marido da prefeita. O incêndio se estendeu por cerca de duas horas, sem registro de feridos”, informou a polícia.

A ocorrência foi registrada na 56ª DIP. Os participantes do delito estão sendo identificados e serão ouvidos no prédio da unidade policial, segundo a assessoria da Polícia Civil.

De acordo com o delegado da cidade, Genilson Parente Arruda, a prefeita não estava na cidade no momento em que teve a casa destruída. O G1 tentou contato com a Prefeitura do município, mas não obteve sucesso.

 

G1

Foto: Arquivo Pessoal

Notícias relacionadas

Do Psol a bolsonaristas, políticos lamentam morte de Bruno Covas

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) morreu neste domingo (16), no Hospital Sírio-Libanês, onde estava internado desde início de maio para tratamento imunoterápico contra o câncer. A doença foi descoberta em…