Por pbagora.com.br

No Brasil, há mais de sete mil padres casados ou vivendo em união estável, segundo o Movimento Nacional das Famílias dos Padres Casados. Destes, cerca de 500 fazem parte do movimento, segundo estimativa da própria associação. Em Fortaleza (CE), onde é a maior representatividade, são 40.

Para o presidente do Movimento Nacional das Famílias dos Padres Casados, José Edson da Silva, 41 anos, sendo nove vivendo em união estável, a situação atrasa os dois lados, da Igreja e destes religiosos. Segundo ele, há padres na ativa que têm filhos espalhados pelo País e que talvez nunca irão assumi-los por falta de coragem de largar a comodidade que a vida na Igreja proporciona.

“O mercado de trabalho é exigente”, diz, “e quando somos padres, temos tudo – carro, casa, emprego e a segurança que a instituição dá. É muito cômodo se manter nessa situação”.

No entender do padre casado, faz parte do ser humano a “realização como homem”. “O corpo pede, é natural que sinta necessidade. Mas a nossa sociedade não está preparada para ver padre casado. Os próprios católicos ainda têm esse preconceito. O padre é o intocável. Imagine o padre transando? (Para as pessoas), parece que isso tira a pureza dos padres.”
 

 

Terra

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: a vacina chegou, mas é preciso que cada um faça sua parte para que a pandemia seja sepultada

O Brasil acordou mais sorridente hoje. A Anvisa aprovou, de maneira emergencial, o uso das vacinas CoronaVac, produzidas pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, e AstraZeneca, desenvolvida pela…