Um militar do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal foi preso, na madrugada deste domingo (3), após roubar uma viatura da corporação e seguir, em alta velocidade, em direção ao Congresso Nacional. O carro foi interceptado perto da Catedral de Brasília, no início da Esplanada dos Ministérios. Ninguém ficou ferido.

No início da manhã, militares dos Bombeiros e da Polícia Militar chegaram a usar o termo “terrorismo” em conversas com o G1. Segundo eles, o homem estava em “surto aparente” e planejava invadir o Congresso com o carro.

Até as 10h30, as forças de segurança do DF não comentavam essas duas informações. O G1 aguarda retorno da Polícia Civil sobre a ocorrência registrada e o indiciamento do homem preso.

O carro foi retirado sem autorização de um quartel em Ceilância, e percorreu quase 30 quilômetros até chegar à Esplanada dos Ministérios. Segundo a PM, o bombeiro militar recusou várias ordens de parada, informadas pelo rádio do próprio veículo e por carros que acompanharam o trajeto.

Ainda de acordo com a PM, viaturas das duas corporações seguiram o carro roubado pela via Estrutural para “balizar” o trajeto e evitar acidentes, até que o carro parasse. Já na Esplanada, tiros foram disparados contra os pneus do veículo, até que ele não conseguisse mais continuar a fuga.

O homem foi detido e encaminhado a outro quartel do Corpo de Bombeiros, onde recebeu voz de prisão. Até as 10h30, os dados desse suspeito e a motivação dele para o roubo do carro não tinham sido divulgadas por nenhum órgão ligado ao governo do DF.

 

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pronunciamento de Bolsonaro sobre Amazônia é recebido com panelaço pelo Brasil

Cidades brasileiras registraram panelaços na noite desta sexta-feira (23) durante pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre as queimadas na Amazônia. Ele falou em rede nacional de rádio e TV. O…