O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o secretário de Cultura, Roberto Alvim, após a polêmica referências ao nazismo em vídeo divulgado nas redes sociais. Segundo o Estado apurou com auxiliares próximos de Bolsonaro, a situação de Alvim ficou “insustentável”. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, já foi comunicado da decisão. O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos, avisou os líderes do Congresso que o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros deve anunciar a demissão do secretário. Após a repercussão do vídeo, políticos e famosos se pronunciaram sobre o assunto. “O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgente do cargo”, afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ).

“Eles nem se escondem mais”, escreveu o músico Marcelo D2. “Ao empregar parte de texto de Goebbels e ópera de Wagner, fundo musical preferido de Hitler,para noticiar seus planos para a cultura brasileira, Roberto Alvim, Secretário de Cultura ,escancara de vez a face Neonazista e criminosa deste DESgoverno de @jairbolsonaro ! Inaceitável!”, comentou a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

Isto É

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Senadores e deputados reagem à ofensa de Bolsonaro a repórter

As ofensas proferidas nesta terça-feira (18) pelo presidente Jair Bolsonaro contra a repórter Patrícia Campos Mello, do jornal “Folha de S. Paulo”, provocaram reações de deputados e senadores. Pela manhã,…

Reforma tributária aumenta confiança do setor produtivo e pode aumentar contratações, diz Efraim Filho

O deputado federal Efraim Filho (DEM-PB) espera que a comissão mista que discutirá a reforma tributária no Congresso Nacional elabore uma proposta “favorável” à retomada do desenvolvimento econômico. A previsão…