Paraibana de Conceição do Piancó, a cantora Elba Ramalho  rejeitou a sua participação no programa programa Pátria Voluntária, lançado por Jair Bolsonaro (PSL) e que tem a esposa dele, Michelle, como presidente do conselho. A cantora, que no último dia 23 de junho, realizou mais um show no Parque do Povo, dentro da programação do Maior São João do Mundo, não quer “misturar palco com palanque”.

O novo Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado foi lançado na última terça-feira (9), no Hospital da Criança de Brasília José Alencar. O projeto é vinculado ao Ministério da Cidadania e tem a primeira-dama como presidente do Conselho.

Elba Ramalho era uma das representantes cotadas por Michelle Bolsonaro que são comprometidas com o trabalho voluntário de diversas regiões do País. A cantora afirmou que não poderia aceitar o convite para participar do conselho. A nordestina alegou excesso de trabalho e inúmeras viagens.

Aos 68 anos, Elba Ramalho tem se firmando cada vez mais como estrela do primeiro time da Música Popular Brasileira. A artista que já experimentou ritmos variados e que tem projeção no exterior é avessa a partidos políticos e disse, numa entrevista, que é totalmente descrente com os homens do poder. “Eu acho que o artista não tem que ter partido político, ele tem que ter consciência social. Palco é para o artista, palanque é para o político”, acrescentou.

Em recente entrevista, Elba Ramalho, quando indagada sobre engajamento político, respondeu que apesar de defender mudanças em benefício do povo, não queria se filiar a partido algum e confessou-se descrente com os homens do poder. “O artista não tem que ter partido político, ele tem que ter consciência social. O palco é para o artista, o palanque é para o político”, reafirmou.

SL
PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário