Por pbagora.com.br

Pesquisa encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e realizada pelo instituto MDA  aponta que o governo da presidente Dilma Rousseff tem avaliação positiva de 54,2%.

A pesquisa, divulgada nesta terça-feira (11), ouviu 2.010 pessoas entre os dias 1º e 5 deste mês. As entrevistas foram realizadas em 134 municípios de 20 unidades da federação nas cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Esta é a segunda vez que a CNT realiza a pesquisa com o instituto MDA. Na pesquisa anterior, divulgada em julho de 2012, a taxa de aprovação do governo Dilma era de 56,6%.

A metodologia utilizada segue o seguinte critério, conforme a CNT: “As entrevistas são feitas de forma proporcional ao tamanho das cinco regiões e 20 unidades da federação, com sorteio aleatório de 134 municípios, com probabilidade de seleção proporcional ao tamanho considerando cotas em função do porte do município”.

De acordo com o levantamento, 54,2% avaliam de forma “positiva” o desempenho do governo Dilma. Outros 35,6% consideram “regular”, e 9%, “negativo”. 

O percentual de aprovação pessoal da presidente passou de 75,7%, em julho de 2012, para 73,7% em junho de 2013.

Datafolha
No fim de semana, foi divulgada outra pesquisa sobre a aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff.  No levantamento, realizado pelo instituto Datafolha, o governo tem a aprovação de 57% dos eleitores, que o consideram bom ou ótimo.

Foi registrada uma queda de oito pontos percentuais em relação ao levantamento anterior do instituto, realizado em março. No caso do Datafolha, a pesquisa foi realizada nos dias 6 e 7 deste mês, com 3.758 entrevistas em 180 municípios do país.

Eleições 2014
A pesquisa MDA fez simulação da disputa da eleição presidencial de 2014. Conforme a pesquisa, num cenário em que concorressem Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (Rede Sustentabilidade) e Eduardo Campos (PSB), a atual presidente teria vantagem. 

Pelo levantamento, Dilma obteria 52,8% votos. Aécio Neves ficaria em segundo lugar, com 17%, seguido por Marina Silva (12,5%) e Eduardo Campos (3,7%). Votariam em branco ou nulo 8,4% dos entrevistados. Outros 5,6% não souberam responder.

Em um segundo turno com Dilma Rousseff e Aécio Neves, a pesquisa indica que a petista sairia vitoriosa com 58,8% dos votos. O tucano obteria 22,5%, de acordo com o levantamento. No cenário em que Dilma disputasse o segundo turno com Marina, a presidente levaria vantagem com 59,7%, de acordo com a pesquisa. Marina Silva obteria 20,4% dos votos.

Comparação com governo Lula
O levantamento aponta que 12% dos brasileiros consideram que o governo Dilma está melhor que o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Outros 57,1% acreditam que o atual governo está “igual” ao governo passado. Já 29,4% responderam que o governo Dilma está pior que o governo Lula, e 1,5% não sabe ou não respondeu.

Pela pesquisa, 42,9% dos brasileiros consideram que a “principal marca do governo da presidente Dilma Rousseff”  é “estar ligado ao ex-presidente Lula”. Outros 16,5% acham que é a boa administração, 13,2% responderam ser a “determinação”. O restante respondeu que é a “seriedade”, a “honestidade”, a “fraqueza”, ou outros atributos.

 

Indicadores sociais e econômicos

 A pesquisa aponta uma piora na expectativa do brasileiro com relação aos indicadores sociais e econômicos. Pelo levantamento, o percentual da população que acreditava que o emprego melhoraria em seis meses passou de 54,1%, em julho de 2012, para 39,6% em junho deste ano. A expectativa positiva com relação ao aumento de renda passou de 49% em julho do ano passado, para 35,8%.

Sobre a situação da saúde, 26,2% acreditam que o setor terá melhoras nos próximos seis meses. Em julho do ano passado, a expectativa positiva era de 43,7%. O levantamento revela ainda que 33,1% dos brasileiros acreditam em melhoras na educação, contra 47,2% na última pesquisa. Quanto à segurança pública, 29,1% esperam avanços nos próximos seis meses, contra 39,1% em julho de 2012.

 

Confiança em instituições

 Pelo levantamento, a instituição mais confiável para o levantamento é a Igreja, com 37,5%. A Polícia Federal está em segundo lugar, sendo considerada a instituição mais confiável por 13,8% dos entrevistados. Em terceiro lugar está o Supremo Tribunal Federal (STF), com 8,2%. O Ministério Público está em quarto, com 7,8%, seguido pela Presidência da República (7,1%), e o Senado (0,7%). A Câmara foi citada por 0,6% dos entrevistados.

 

Maioridade penal
De acordo com a pesquisa, 9,27% dos entrevistados são favoráveis à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. São contra 6,3%, e 0,9% não responderam. 

Segundo o levantamento, a maioria dos brasileiros seria contrária à união civil homoafetiva. Dos entrevistados, 38,9% disseram ser a favor e 49,7% se posicionaram contra. Outros 11,4% não souberam responder.

 

De acordo com a pesquisa, 37,5% defenderam a aprovação de uma lei que permita o casamento entre pessoas do mesmo sexo, 54,2% se disseram contrários e 8,3% não responderam.

 

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ministro interino da Saúde diz que vacina de Oxford é a melhor opção até agora

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quinta-feira (13) que a melhor opção de vacina, até agora, é a de Oxford. “Eu posso apensar aos senhores que a…