O ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (4) no sítio onde morava em Rio Bonito (RJ). Ele era natural de São Paulo, onde nasceu no bairro do Brás, em 26 de agosto de 1934.

A morte de Migliaccio foi confirmada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar. O boletim de ocorrência foi registrado como suicídio.

O último trabalho do ator foi na novela “Órfãos da Terra”, da TV Globo, em 2019, quando interpretou o personagem Mamede Al Aud. Ele também atuou em sucessos da TV Globo como “Êta Mundo Bom!” (2016), “Passione” (2010), “Caminho das Índias” (2009), “América” (2005), “A Próxima Vítima” (1995) e “A Rainha da Sucata” (1990).

Além de ator, ele também atuou como diretor, produtor, roteirista e cartunista. Filho de um barbeiro que tocava violino, cresceu acostumado a atuar e a tocar instrumentos improvisados com os irmãos – eram 16, ao todo – nos concertos noturnos que o pai fazia para os vizinhos.

“Sempre vivemos nesse clima da arte de representar, de tocar. Meu pai queria que eu fosse barbeiro, até tentou me ensinar a profissão. Ele reunia todos os mendigos da nossa rua e fazia aquela fila, para eu cortar o cabelo e fazer a barba deles. Eram minhas cobaias. Mas acabei não aprendendo, eu queria mesmo era ser artista”, contou em entrevista à TV Globo.

Início da carreira no teatro

Migliaccio começou a estudar teatro em 1954, no curso do italiano Ruggero Jacobbi, que o encaminhou para o grupo amador Teatro Paulista do Estudante. Foi lá que ele conheceu Oduvaldo Vianna Filho e Gianfrancesco Guarnieri.

A profissionalização como ator teve início no Teatro de Arena, de Zé Renato, onde ele participou de uma série de peças e para onde levou, inclusive, a irmã Dirce Migliaccio.

Migliaccio começou na TV Globo em 1972, quando ficou conhecido pelo papel de Xerife, na novela “O Primeiro Amor”. O personagem fez tanto sucesso que, no mesmo ano, deu origem ao seriado “Shazan, Xerife e Companhia”, estrelado também por Paulo José.

O ator também fez sucesso com o público infantil, quando apostou no personagem “tio Maneco”. O filme “Aventuras com Tio Maneco” foi vendido para mais de 30 países e ganhou um prêmio do cinema infantil na Espanha.

Migliaccio começou a atuar no teatro, nos anos 50. Naquela época, a convite dele, a irmã Dirce Migliaccio também deu os primeiros passos como atriz. Os dois fizeram dezenas de peças juntos no antigo Teatro de Arena, com o diretor Zé Renato.

O ator também tem passagens pela TV Tupi, onde fez uma participação especial em “Vila Sésamo”.

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bolsonaro deixa Brasília de helicóptero e causa aglomeração em lanchonete

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou o Palácio do Planalto na manhã deste sábado (30) e voou de helicóptero até Abadiânia, cidade goiana no entorno do Distrito Federal. Bolsonaro visitou uma…

Último sorteio de maio da Mega Sena pagará R$ 38 milhões

Para quem sonha em ficar milionário, essa será a última oportunidade do mês para apostar na sorte grande. A Mega Sena realiza hoje, por volta de 20h, o último concurso…