João Pessoa, 24 de Novembro de 2017

07 de Novembro de 2017

Nove bairros de JP têm médio risco de infestação do Aedes

Nove bairros de JP têm médio risco de infestação do Aedes

 Nove bairros de João Pessoa são considerados áreas de médio risco de infestação do mosquito Aedes aegypti. A constatação é da Gerência de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Gvaz) de João Pessoa, que divulgou, nesta segunda-feira (6), o resultado do quarto Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2017, que aponta as áreas com maior risco para presença de focos e reprodução do Aedes aegypti no município.

Por outro lado, das 29 áreas pesquisadas, que correspondem a 64 bairros, nenhuma apresentou Índice de Infestação Predial (IIP) de alto risco, ou seja, acima de 4%. De acordo com os dados do LIRAa, o índice em João Pessoa é de 0,5%. Isso quer dizer que um a cada 200 imóveis de João Pessoa apresenta risco de reprodução do mosquito Aedes aegypti.

Os nove bairros considerados áreas de médio risco de infestação - Cruz das Armas, Oitizeiro, Alto do Mateus, Varjão, Valentina Figueiredo, Planalto da Boa Esperança, Varadouro, Jaguaribe e Ilha do Bispo -apresentaram índice entre 1% e 1,7%.

De acordo com o gerente de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Nilton Guedes, observou-se, neste último levantamento, que há a presença do mosquito Aedes aegypti nas 29 áreas pesquisadas.

“Isso mostra que há uma dispersão do mosquito e por isso estamos trabalhando na eliminação dos focos em todos os bairros. Porém, também é importante ressaltar que a participação da população é fundamental para evitar a proliferação do mosquito”, destacou. Além de apontar as áreas com maior incidência do Aedes aegypti, a pesquisa identifica quais os tipos de depósitos são predominantes como criadouros do mosquito. Conforme o levantamento, as áreas onde há maior índice de infestação predominam os descartáveis e depósitos de armazenamento de água para consumo humano, a exemplo de tambores, tanques e latas.

A pesquisa foi feita no período de 23 a 27 de outubro e foi o último de quatro levantamentos realizados anualmente. A população pode ajudar no combate ao Aedes aegypti denunciando possíveis focos do mosquito por meio dos telefones: 0800-282-7959 e 3214-5718, ou ainda pelo e-mail coessmsjp@gmail.com.

Redação com G1



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.