João Pessoa, 25 de Maio de 2017

19 de Maio de 2017

Temer, Aécio e Rocha Loures serão investigados em um mesmo inquérito

Temer, Aécio e Rocha Loures serão investigados em um mesmo inquérito

 BRASÍLIA - O presidente Michel Temer (PMDB), o senador Aécio Neves (PSDB) e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) serão investigados em conjunto, no mesmo inquérito no Supremo Tribunal Federal. O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, mandou a Procuradoria-Geral da República investigá-los com base nas delações dos irmãos Joesley Batista e Wesley Batista, proprietários do grupo JBS, maior do mundo. O inquérito, de número 4.483, tramitará sem segredo de justiça.

A íntegra do pedido da PGR para abrir investigação contra o presidente ainda não está disponível, tampouco a decisão do ministro com a autorização. O que consta no sistema, neste momento, é a certidão de distribuição para o ministro Edson Fachin, que mostra que o processo foi direcionado especificamente a ele por haver suposta conexão com o inquérito que investiga uma suposta organização criminosa entre membros do PMDB no Senado Federal, o inquérito 4.326.

Divulgação. Em um dia cercado de expectativas em torno dos desdobramentos da crise política que abala o governo, o conteúdo da delação da JBS deve ser tornado público a qualquer momento, segundo apurou o Broadcast.

O sigilo da delação já foi levantado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, mas ainda não foram tornados públicos os depoimentos dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

Os pedidos de investigação feitos pela PGR e as decisões de Fachin serão divulgados. Ainda não se sabe se serão divulgados todos os termos de colaboração e todos os documentos apresentados pelos delatores ou se alguma parte não será fornecida à imprensa.

O Supremo Tribunal Federal divulgou nesta quinta-feira (18) o áudio da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista que embasa o acordo de delação premiada fechado pelo executivo com a Procuradoria-Geral da República (PGR) na Lava Jato. Uma cópia do áudio foi encaminhada ao Palácio do Planalto na tarde da quinta-feira e depois fornecida à imprensa.

Msn.com



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.