João Pessoa, 30 de Julho de 2014

20 de Janeiro de 2014

Policiais ganharão bônus se mortes violentas caírem em SP

Policiais ganharão bônus se mortes violentas caírem em SP

Policiais civis, militares e técnico-científicos de São Paulo poderão ganhar até R$ 2.000 de bônus por trimestre caso batam as metas estabelecidas pela Secretaria de Segurança Pública.

O sistema meritocrático já está valendo e suas regras foram anunciadas na manhã desta segunda-feira (20) pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), em evento no palácio dos Bandeirantes.

"O sistema estimula o trabalho em equipe e, com metas definidas, dá objetividade ao trabalho, que fica mais focado", disse Alckmin.

As metas serão estabelecidas trimestralmente, com base na comparação com o mesmo período do ano anterior, e valerão para três grupos de crimes: vítimas de mortes violentas (homicídios e latrocínios), número de roubos em geral e número de furtos e roubos de veículos.

Neste trimestre, a meta é diminuir as mortes violentas em 7% em todo o Estado, e estancar o número de roubos e de roubos de veículos –ou seja, mantê-los no mesmo patamar do início de 2013.

Desse modo, a meta deste trimestre é impedir que ocorram mais de 1.277 mortes violentas no Estado, 57.384 roubos em geral e 50.710 roubos e furtos de veículos.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, as metas são "exequíveis" e foram estabelecidas em discussões com os comandos das polícias.

Sistemas semelhantes já existem em Estados como Minas Gerais e Rio de Janeiro, segundo o governo paulista.

O pagamento do bônus leva em conta o desempenho dos policiais de determinada área e os resultados obtidos no conjunto do Estado.

No melhor cenário, em que o Estado bater as metas nos três grupos de crimes e policiais de determinada área também atingirem as metas, cada um desses policiais receberá R$ 2.000.

Se o Estado bater as metas, mas policiais de determinada área não atingirem a meta em um dos índices –de mortes violentas, por exemplo–, o bônus pago cai para R$ 1.500, e assim por diante. Caso o policial bata a meta e o Estado não, a remuneração extra fica suspensa já que o bônus está condicionado aos resultados obtidos em conjunto.

O projeto de lei que institui o pagamento dos bônus precisa ainda ser aprovado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o que o governo espera que ocorra em fevereiro.

A instituição de metas faz parte do plano SP Contra o Crime, anunciado pelo governo Alckmin no ano passado.

As metas a serem atingidas serão divulgadas no site da SSP, informou o governo. A ideia é dar "transparência e controle social" ao sistema e evitar que policiais manipulem dados com o objetivo de receber o bônus.


Folha

Enviar Comentário

Em respeito à legislação eleitoral, o portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.