João Pessoa, 22 de Dezembro de 2014

03 de Abril de 2013

Conselho discute situação financeira da UEPB em reunião extraordinária

Conselho discute situação financeira da UEPB em reunião extraordinária

 O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em reunião extraordinária, convocada em atendimento a solicitação dos diretores de Centros de Ensino da Instituição e realizada na manhã desta terça-feira (2), no auditório da Biblioteca Central, em Bodocongó, discutiu a atual situação financeira da Universidade e os prejuízos causados pela paralisação das atividades de professores e técnico-administrativos.

Presidente da reunião, o reitor Rangel Junior apresentou todos os dados financeiros da UEPB e lembrou que a Universidade elaborou, no ano passado, um orçamento superior a R$ 309 milhões, mas a peça orçamentária enviada pelo governo do Estado para a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) foi aprovada em R$ 241 milhões, já incluindo R$ 10 milhões oriundos de emenda parlamentar, o que resultou em R$ 68 milhões a menos nos recursos previstos. Do orçamento disponível para a Instituição, mais de R$ 201 milhões estão comprometidos com a folha de pessoal.

O reitor relatou, ainda, que a Administração Central já realizou três folhas de pagamento este ano, o que lhe permitiu fazer uma projeção para os demais meses do ano. Em média, a folha mensal vai girar entre R$ 14 milhões e R$ 16 milhões e, no momento, não existe perspectiva de novo aporte financeiro para a UEPB que viabilize a concessão de reajuste para as categorias, embora a Reitoria permaneça negociando com o governo e com os deputados.

Os conselheiros também se manifestaram sobre o assunto e ao final, aprovaram a proposta de realização de uma reunião ordinária do Consuni a cada mês. Rangel Junior avaliou como necessária a realização da reunião mesmo em um período de greve.

Para o reitor, os conselheiros precisavam tomar conhecimento da atual realidade financeira da UEPB. “A realização desse debate serviu para esclarecer a realidade da Universidade e também criar condições para uma reflexão coletiva acerca do momento que vivemos. Precisamos garantir a universidade funcionando”, avaliou o reitor.

Proposta do SINTESP-PB

Durante a primeira reunião do Consuni, o reitor Rangel Junior explicou a proposta apresentada pelo SINTESP-PB como condição para encerrar a greve. A proposta, segundo ele, implicava na concessão de um benefício em forma de vale alimentação, no valor de R$ 500, através de Resolução a ser votada no Conselho Universitário.

Após levantamento e diante da incapacidade financeira da Instituição para conceder o benefício na íntegra, a Reitoria apresentou contraproposta de R$ 200, tendo em vista que a verba não sairia da rubrica de pessoal, mas de custeio.

O sindicato refez a proposta reduzindo o valor para R$ 440. Como se trata de uma proposta alternativa, que não entra como verba de pessoa, o reitor Rangel Junior apresentou nova contraproposta no valor de R$ 370 escalonado em três anos, sendo R$ 230 a ser concedido em 2013; R$ 300 em 2014 e R$ 370 em 2015.

“Apresentamos a contra proposta dentro da possibilidade de fazer cálculos para inserir nos orçamentos de 2014 e 2015”, explicou o reitor.

Posse de conselheiros e abertura de editais

No início da reunião, o reitor Rangel Junior deu posse aos novos conselheiros universitários e o vice-reitor, professor Ethan Barbosa, anunciou a abertura de novos editais para infraestrutura e pesquisa na Instituição.

A data para a apresentação de propostas vai até maio e, para isso, a Pró- Reitoria de Pós-Graduação já convocou reunião com os diretores de centro e grupos de pesquisa para a próxima terça-feira (9).

Ele também falou da participação da UEPB em uma reunião realizada recentemente em Brasília para tratar do “Fundo Clima” e informou que a Universidade será parceira na estruturação de um Centro de Referência de Clima que será instalado no semiárido paraibano.

Assessoria



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.