João Pessoa, 01 de Novembro de 2014

18 de Julho de 2012

Juíza Maria das Graças é a nova desembargadora

Juíza Maria das Graças é a nova desembargadora

O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba voltou a se reunir, em sessão extraordinária administrativa, na tarde desta terça-feira (17), e escolheu, à unanimidade, pelo critério de antiguidade, a juíza Maria das Graças Morais Guedes para ocupar a vaga deixada pelo desembargador Nilo Luiz Ramalho, em face de sua aposentadoria.    

A magistrada é titular da Vara de Entorpecentes da Comarca de João Pessoa.. Maria das Graças, que está ocupando uma cadeira no Tribunal Pleno, na condição de juíza convocada, agradeceu a escolha e lembrou sua posse, em 1984, naquele mesmo plenário.


A posse da nova desembargadora, a terceira mulher a ocupar o Pleno da Corte de Justiça paraibana, está marcada para o próximo dia 25 de julho, próxima quarta-feira, às 16h00. Durante a sessão, presidida pelo desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos, os desembargadores foram unânimes, em afirmar que a juíza Maria das Graças Moraes Guedes reuniu todas as condições para integrar a corte. “Integra, dedicada, ética, competente, ilibada, correta e capaz, tendo sido por dez vezes convocada para as sessões do pleno e também como juíza convocada nas sessões das câmaras cíveis e criminal.


-A juíza de Direito, Maria das Graças Morais Guedes, nasceu na cidade de São Mamede, sertão da Paraíba, onde iniciou os estudos no Grupo Escolar Seráphico Nóbrega. Cursou o ginásio no Colégio Marcos Barbosa e fez a Escola Normal Estadual de Patos, tornando-se professora. Graduou-se Bacharel em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal da Paraíba.


Ingressou na Magistratura Paraibana em 1984, mesmo ano que iniciou a carreira de Juíza de Direito da Comarca de Juazeirinho. Exerceu ao mesmo tempo jurisdição nas Comarcas de Soledade e Pocinhos. Respondeu ainda por Taperoá e Santa Luzia, de igual entrância, e respectivas zonas eleitorais. Em 1988 foi promovida pelo critério de antiguidade para a 1ª Vara da Comarca de Patos. Em dezembro do mesmo ano foi designada diretora do Fórum da referida Comarca.


Foi Juíza Eleitoral na 28ª Zona Eleitoral/Patos. Também respondeu pelas comarcas e zonas eleitorais de Teixeira, Princesa Isabel e Malta. Promovida por merecimento para a 1ª Vara Criminal do Tribunal do Júri da Comarca de Campina Grande, assumiu em 1992. Respondeu em caráter excepcional pela 1ª Vara e 1º Tribunal do Júri, Diretoria do Fórum e 28ª Zona Eleitoral.


Em 1995 é convocada para a Corregedoria Geral da Justiça, na gestão do Desembargador Wilson Pessoa da Cunha. Por permuta, foi removida em 1996 para a 3ª Vara Cível da Comarca da Capital. A seu pedido, em data de 10 de outubro do mesmo ano, assumiu a 8ª Vara Criminal da Capital (atual Vara de Entorpecentes) – Privativa dos delitos de tóxicos e trânsito, porém permaneceu na Corregedoria da Justiça até o término do biênio. Assumiu a Vara no dia 04.02.1997, onde se encontra até hoje.


Em agosto de 1996 foi designada e presidiu a 2ª Junta Eleitoral na 36ª Zona – Catolé do Rocha (PB). Foi Juíza Eleitoral da 64ª zona eleitoral no biênio 2005-2007/Capital, sendo designada Coordenadora da Propaganda Eleitoral no pleito eleitoral/2006. Foi titular e presidiu a 2ª Turma Recursal Criminal e 2ª Turma Recursal Mista dos Juizados Especiais, nas gestões dos Desembargadores Marcos Antônio Souto Maior e Plínio Leite Fontes.


A mais nova integrante da Corte de Justiça já tem experiência na corte maior e Câmaras. Começou a ser convocada como substituta em 2006, substituindo o desembargador Antônio Carlos Coelho da Franca, em gozo de férias, junto à Câmara Criminal e Tribunal Pleno. Substituiu, igualmente, a desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti, e os desembargadores Márcio Murilo da Cunha Ramos, Nilo Luís Ramalho, Luís Sílvio Ramalho, Frederico Martinho da Nóbrega e José Di Lorenzo Serpa.  



ASCOM

Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.