João Pessoa, 18 de Setembro de 2014

06 de Abril de 2012

SEX

06.04

Partido Pirata do Brasil surge na Paraíba

1

  • Imprimir
  • Enviar
  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte

     

O Partido Pirata brasileiro, que faz parte de uma rede de outros diversos partidos piratas espalhados pelo mundo, que surgiram logo após o impacto da formação do 1º Partido Pirata do planeta, na Suécia, em 2006, agora, também já está presente aqui na Paraíba, com sede em João Pessoa.

Desvendando segredos da CIA e KGB

O movimento dos partidos piratas surgiu para defender o acesso à informação, às novas tecnologias de Internet, o compartilhamento do conhecimento científico-político-religioso gerado por organizações que atuam na sombra como os serviços secretos dos Estados Unidos (CIA, FBI, etc), Inglaterra (MI-6), Rússia (antiga KGB), Brasil (ex-SNI, hoje denominado de Abin), Israel (Mossad), entre outros mecanismos oficiais de espionagem internacional.

Fim da espionagem na Internet

O Partido Pirata também quer ter o direito à privacidade no Twitter, e-mails, sites e Facebook, cujos militantes sentem-se ameaçados e vigiados pelas tentativas de governos e corporações financiadas pelo capital multinacional, capazes de controlar e monitorar qualquer um dos cidadãos comuns em todas as partes da Terra.

Agremiação política nasceu em São Paulo

Seu núcleo paulista surgiu em 2007 e no final do ano seguinte, seu fórum nacional contava com mais de 300 participantes cadastrados, em todas as partes do Brasil.

Luta contra neonazistas paraibanos

Aqui na Paraíba, o Partido Pirata vai centrar fogo para combater as ações agressivas, homofóbicas e racistas desenvolvidas por um grupo de skinheads se de vez em quando está reunido em alguns lugares específicos do Centro Histórico de João Pessoa, como no bairro do Varadouro, Casa da Pólvora, Ladeira da Borborema etc.

Buldogue chefia gang racista na Capital

Os “carecas” racistas e neonazistas são liderados por um brutamonte apelidado de Buldogue, que já está sendo mapeado pelo P-Sol e outros movimentos ativistas dos Direitos Humanos, como OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), MEL (Movimento do Espírito Lilás) e outros segmentos LGBT’s (entidades que congregam Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros, Transexuais ou Travestis).

Polícia Federal e PM já vigiam os “carecas”

As autoridades competentes em nível de Polícia Militar e Departamento de Polícia Federal já foram acionados pelas partes em questão, estando monitorando a ação dos skinheads para ver até onde os “carecas” neonazistas paraibanos terão capacidade de ir, levando a cabo suas provocações e atitudes agressivas.

Enviar Comentário